Desistir da Vida Pode Levar à Morte

Pesquisadores da Universidade de Portsmouth, liderados pelo Dr. John Leach, realizaram um estudo inovador que descreve os marcadores clínicos associados à morte psicogênica – um fenómeno pouco compreendido no qual uma pessoa desiste da vida e morre em um curto período de tempo, aparentemente sem causa física aparente. Diferente do suicídio ou da depressão, a morte psicogênica é frequentemente desencadeada por traumas graves e resulta em um declínio rápido da saúde do indivíduo.

O estudo foi conduzido pela primeira vez em dez casais, que foram submetidos a 45 minutos de contato físico dentro de uma máquina de ressonância magnética. Os pesquisadores analisaram como o cérebro reage durante momentos de proximidade e afecto. Os resultados mostraram que a sincronização cerebral ocorre durante essas interações, sugerindo que o circuito frontal-subcortical, especialmente o cíngulo anterior, que é responsável pela motivação e comportamentos orientados a objectivos, pode estar envolvido na ocorrência da morte psicogênica.

Os cinco estágios da morte psicogênica foram identificados pelo Dr. John Leach. Eles são:

1. Retirada social: Nesta fase inicial, após um trauma psicológico, o indivíduo pode mostrar uma retirada acentuada, falta de emoção e indiferença, tornando-se auto-absolvido. Esse estágio pode ser uma maneira de lidar temporária com o trauma, mas se não for tratado, pode progredir para estágios mais graves.

2. Apatia: A apatia é caracterizada por uma “morte” emocional ou simbólica, diferente de outras emoções como raiva ou tristeza. A pessoa não demonstra esforços para se preservar, apresentando desleixo e falta de cuidados pessoais.

3. Abulia: Neste estágio, ocorre uma grave falta de motivação, associada a uma resposta emocional abafada e incapacidade de tomar decisões. A pessoa pode se tornar cada vez mais retraída, desistindo de atividades básicas, como comer e lavar-se.

4. Acinesia psíquica: Neste estágio, a pessoa está consciente, mas em um estado profundo de apatia e pode até se tornar insensível à dor extrema. A falta de resposta à dor pode ser perigosa para a saúde do indivíduo.

5. Morte psicogênica: O estágio final é quando a pessoa desiste completamente da vida, levando à sua morte. Esse processo, do estágio quatro à morte psicogênica, geralmente ocorre em três a quatro dias. Antes da morte, pode haver momentos breves de aparente recuperação, como um lampejo de interesse pela vida, mas o objetivo em si parece ser um abandono da vontade de viver.

O Dr. Leach enfatizou que a morte psicogênica não é definitiva e pode ser revertida em diferentes estágios com intervenções apropriadas. A recuperação geralmente acontece quando o indivíduo encontra ou recupera um senso de escolha e controle sobre sua vida. O estudo destaca a importância de entender e reconhecer esses estágios, permitindo intervenções eficazes para auxiliar aqueles que estão em risco de morte psicogênica.

Essa pesquisa é um passo crucial para o avanço na compreensão dos mecanismos complexos do cérebro e pode ter implicações significativas no tratamento e prevenção de mortes psicogénicas em situações de traumas graves. Além disso, é importante destacar a relevância da empatia e apoio social em momentos difíceis, já que a conexão emocional pode ter um papel vital na superação de momentos de desespero.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_imgspot_img
spot_img

Hot Topics

Related Articles

Ir para a barra de ferramentas