Um estudo científico recente, publicado no periódico Sexologies no dia 5 de Julho, buscou investigar e descobrir a posição sexual mais eficaz para o orgasmo feminino. Para realizar a pesquisa, os cientistas convidaram um casal formado por um homem e uma mulher para participar do estudo.

O objectivo principal da pesquisa era entender quais posições sexuais proporcionavam maior estímulo e prazer ao clitóris da mulher. Com isso em mente, o casal foi instruído a experimentar cinco posições diferentes: a mulher por cima, a tradicional posição papai-e-mamãe (com e sem travesseiro em baixo do quadril da mulher), a parceira sentada de frente para o homem e a posição “de quatro”.

Posição Mais Eficaz para o Orgasmo Feminino revelada em estudo
Posição Mais Eficaz para o Orgasmo Feminino revelada em estudo

Para avaliar a eficácia de cada posição, os pesquisadores mediram o fluxo sanguíneo no clitóris da mulher antes e depois de cada acto sexual. Os resultados obtidos revelaram uma descoberta interessante: a posição que proporcionou o maior estímulo ao órgão foi o papai-e-mamãe, com um travesseiro posicionado estrategicamente em baixo da mulher.

De forma geral, as posições em que a força gravitacional do parceiro estava na mesma direcção do clitóris, ou seja, quando o casal estava face-a-face, demonstraram maior capacidade de estimulação no órgão feminino. No entanto, os pesquisadores observaram que a posição “de quatro” resultou em menor contacto direto do clitóris, apresentando um aumento insignificante no fluxo sanguíneo em comparação com as posições em que o casal estava frente a frente.

Embora os resultados tenham sido considerados animadores, os pesquisadores alertam para algumas limitações do estudo. Entre elas, destacam-se o baixo número de participantes e o foco exclusivo no fluxo sanguíneo no clitóris, sem considerar outras reacções corporais da mulher durante o orgasmo. É importante lembrar que a maior irrigação sanguínea do clitóris não é necessariamente um indicativo definitivo de que o orgasmo tenha ocorrido, mas sim que a mulher pode ter se sentido excitada durante o acto sexual.

Apesar das ressalvas, a pesquisa representa um passo importante para a compreensão das respostas sexuais femininas e pode auxiliar casais a explorarem novas formas de alcançar o prazer e a satisfação sexual. A ciência continua avançando em direcção ao entendimento mais completo do funcionamento do corpo humano, abrindo possibilidades para uma vida sexual saudável e prazerosa. Contudo, é fundamental lembrar que cada indivíduo é único, e o que funciona para um casal pode não ser a melhor opção para outro. A comunicação aberta e o respeito mútuo são essenciais para a descoberta e exploração do prazer sexual na intimidade do relacionamento.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here