Início Meio Ambiente Quais são os principais tipos de poluição ambiental?

Quais são os principais tipos de poluição ambiental?

27
0

A poluição representa uma ameaça direta à saúde humana e ao meio ambiente, adverte o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).

“Diversas formas de poluição são encontradas no ar que respiramos, na água que bebemos e na terra em que vivemos”, diz o site do órgão, que identifica seis tipos de poluição: ar, água doce, terra e solo, marinha, química e por resíduos.

A poluição também “representa custos econômicos significativos como resultado dos impactos na saúde humana, perdas de produtividade, custos de cuidados com a saúde e danos aos ecossistemas”, aponta o relatório do Pnuma Rumo a um Planeta Livre de Poluição: Relatório de Base, de 2019.

“É importante entender quais são as fontes de poluição, onde pode haver problemas e quem pode lidar com eles”, disse Andrea Pineda-Rojas, doutora em ciências atmosféricas e pesquisadora do Centro de Pesquisa do Mar e da Atmosfera, do Conselho Nacional de Investigação Científica e Técnica e da Faculdade de Ciências Exatas da Universidade de Buenos Aires – todos na Argentina –, em entrevista à reportagem.

O que é a poluição do ar e quais são as suas causas?
Segundo Pineda-Rojas, a poluição do ar, ou poluição atmosférica, ocorre quando as concentrações de espécies químicas no ar atingem níveis que afetam ou podem afetar a saúde das pessoas, a vegetação, os animais, o patrimônio cultural, entre outros.

Todas as atividades humanas emitem poluentes para a atmosfera, embora com intensidade variável. Entre os geradores de poluição, há fontes biogênicas (produzidas na natureza, como erupções vulcânicas ou incêndios florestais) e fontes antropogênicas (geradas por pessoas).

Entre estas últimas, as principais atividades que liberam poluentes são: transportes veicular e aéreo, consumo doméstico de gás para aquecimento e cozinha, atividade comercial e industrial, geração de energia, uso de solventes e atividades agrícolas, diz Andrea Pineda-Rojas.

Quais são as consequências da poluição do ar?
De acordo com o Pnuma, a poluição do ar é o maior risco à saúde ambiental mundial, matando cerca de 6,5 milhões de pessoas prematuramente a cada ano no mundo e expondo nove em cada dez pessoas a níveis de poluição do ar ao ar livre.

As consequências são diversas. Entre elas, segundo Pineda-Rojas, estão diferentes efeitos à saúde, que vão desde irritação nos olhos, nariz ou garganta a problemas respiratórios, doenças cardiovasculares, efeitos sobre o sistema reprodutivo e câncer de pulmão, em casos de exposição prolongada a poluentes.

O Pnuma lista outros problemas: acidificação ou diminuição do pH da água do mar e eutrofização, que é o aumento de nutrientes na água doce em lagos e reservatórios, levando ao excesso de fitoplâncton da água e do solo, danos às plantações, mudança climática, visibilidade reduzida, fotossíntese prejudicada, crescimento reduzido das plantas e acúmulo de toxicidade na cadeia alimentar.

Os grupos mais vulneráveis são: “crianças, idosos, mulheres grávidas e pessoas com doenças respiratórias pré-existentes”, diz Pineda-Rojas, que sugere alternativas para reduzir a poluição do ar: preferir o transporte público, a bicicleta ou os carros elétricos aos veículos a combustão.

O que é a poluição da água e o que a causa?
“O mundo enfrenta um desafio de qualidade da água devido à grave e crescente poluição da água tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento”, alerta o Pnuma.

A poluição da água doce tem origem em muitas fontes, incluindo resíduos municipais, industriais e agrícolas, esgoto e escoamento de nutrientes, geração de energia, indústria pesada e automóveis, entre outros.

Atualmente, 80% das águas residuais globais não são tratadas e contêm desde resíduos humanos até descargas industriais altamente tóxicas, adverte o Pnuma.

Quais são as consequências da poluição da água?
A poluição da água doce é uma das principais preocupações do Pnuma, porque “ameaça a segurança alimentar, a pesca e a subsistência”.

Aproximadamente 4 mil crianças morrem diariamente de doenças causadas por água insegura e saneamento inadequado. O número anual de mortes por diarreia é de 1,8 milhões.

Além disso, o órgão alerta para os impactos sobre a vida selvagem. “O aumento das descargas de esgoto bruto, combinado com o escoamento de fertilizantes e outros produtos químicos em corpos de água doce, pode desencadear contaminação por patógenos, produtos químicos e nutrientes, o que, por sua vez, leva a um crescimento excessivo da vida vegetal que priva os peixes e outros animais de oxigênio.”

O que é a contaminação do solo e o que a causa?
A contaminação do solo é causada pela presença de produtos químicos xenobióticos (estranhos ao corpo humano) ou por outras mudanças no ambiente natural do solo, explica Regina Márcia Longo, engenheira agrônoma e pesquisadora da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, em São Paulo.

Ela é geralmente causada por atividade industrial, produtos químicos agrícolas ou eliminação inadequada de resíduos. De acordo com o Pnuma, os principais contaminantes do solo são metais pesados, como chumbo ou mercúrio; pesticidas e outros poluentes orgânicos persistentes; e produtos farmacêuticos, como os antibióticos usados para o manejo de gado.

Quais as consequências da contaminação do solo?
“Os contaminantes degradam os solos e, portanto, os seres humanos e a vida selvagem que vivem perto de antigas instalações industriais. Terras recuperadas estão em risco de exposição à contaminação se essas áreas não forem cuidadas e adequadamente descontaminadas”, relata o Pnuma.

Regina Márcia Longo acrescenta que a contaminação do solo tem outras consequências, tais como contribuir para a mudança climática, perda de fertilidade do solo e impactos na saúde humana.

O Pnuma adverte que o problema tem efeitos nocivos sobre o sistema nervoso, digestivo e imunológico, além dos pulmões e rins, e pode causar câncer, esterilidade e outros distúrbios reprodutivos.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura reconhece que “a contaminação do solo afeta a segurança alimentar, reduzindo o rendimento e a qualidade das colheitas”.

Longo indica que existem diferentes maneiras de contribuir para a redução deste tipo de poluição, incluindo: diminuir o desmatamento e promover o reflorestamento; promover práticas agrícolas sustentáveis; remediar solos contaminados; e reduzir do uso de pesticidas e fertilizantes.

O que é a poluição marinha e o que a causa?
Os oceanos e as águas costeiras recebem uma grande porcentagem de resíduos e poluentes. Estes incluem resíduos plásticos, nutrientes em excesso, resíduos químicos e radioativos de fontes terrestres, assim como material de pesca abandonado, observa o Pnuma.

A organização destaca que 12,7 milhões de toneladas de resíduos plásticos são jogadas no oceano a cada ano, o equivalente bruto a um caminhão de lixo cheio a cada minuto. A esse ritmo, estima-se que o plástico superará o número de peixes no oceano até 2050.

No documento Impactos da poluição no meio ambiente marinho, de 2017, o Pnuma lista nove categorias de fontes de poluição marinha: esgotos, poluentes orgânicos persistentes, substâncias radioativas, metais pesados, óleos, nutrientes, mobilização de sedimentos, lixo, alteração física e destruição de habitat.

Consequências da poluição marinha
A agência ambiental revela que cargas excessivas de nutrientes causaram pelo menos 500 zonas mortas em áreas costeiras ao redor do mundo, com impactos em ecossistemas como recifes de coral, assim como em comunidades pesqueiras e na produtividade dos estoques pesqueiros.

Além disso, o Pnuma adverte que o lixo pode causar danos físicos à vida marinha através da ingestão, enredamento e pesca fantasma (quando o material de pesca perdido ou abandonado permanece no oceano e aprisiona peixes ou outra vida marinha, matando indiscriminadamente o que quer que capture). O lixo também pode agir como transportador de substâncias tóxicas e de espécies invasoras de outros ecossistemas pelo do oceano.

O problema também afeta o turismo e, consequentemente, as economias locais e todos aqueles que dependem do setor.

O que é a poluição química e o que a causa?
O Pnuma reconhece que os produtos químicos têm benefícios para a sociedade humana, mas observa que eles podem ter impactos prejudiciais significativos sobre a saúde das pessoas e o meio ambiente.

A segunda edição do relatório Perspectivas Químicas Globais, de 2019, relata que grandes quantidades de produtos químicos fabricados continuam a ser liberadas no ar, na água e no solo, causando contaminação em todo o mundo.

Os agentes químicos de preocupação são liberados em produtos de consumo e materiais de construção. Por sua vez, os aterros sanitários e a reciclagem informal são as principais fontes de poluição em muitos países. Acidentes industriais e desastres naturais também causam poluição significativa.

Consequências da poluição química
A poluição química é uma das principais causas de doenças humanas e morte prematura, adverte o relatório. Os potenciais efeitos adversos à saúde incluem envenenamento agudo, cânceres, distúrbios reprodutivos e de desenvolvimento neurológico e problemas do sistema endócrino.

“A poluição química ameaça as funções dos ecossistemas ao afetar negativamente os polinizadores, contribuindo para as zonas mortas dos oceanos, acelerando a resistência antimicrobiana e aumentando a pressão sobre os recifes de coral”, acrescenta o Pnuma, que destaca a importância de gerenciar adequadamente os produtos químicos ao longo de seu ciclo de vida, desde a extração, produção, formulação e uso, até a disposição final.

O que é a poluição por resíduos
O lixo é um problema global e uma ameaça à saúde e ao meio ambiente, especialmente se considerado que, segundo o Pnuma, a geração de resíduos quase dobrou entre 1970 e 2000 e continua a crescer exponencialmente.

De acordo com o relatório Rumo a um planeta livre de poluição, os aterros em todo o mundo são fontes de misturas complexas de poluição, com emissões de gases como metano, resíduos eletrônicos, outros resíduos perigosos e lixiviados (líquidos residuais, geralmente tóxicos, que saem de um aterro por percolação) de metais pesados.

Outro grave problema é a mineração, que “gera um dos maiores fluxos de resíduos do mundo, muitas vezes contendo altas concentrações de compostos que têm efeitos graves sobre os ecossistemas e os seres humanos”, diz o relatório.

Consequências da poluição por resíduos
A gestão de resíduos é uma questão transversal que afeta muitos aspectos da sociedade e da economia e tem fortes ligações com uma série de outros desafios globais como saúde, mudança climática, redução da pobreza, segurança alimentar e de recursos, produção e consumo sustentáveis, adverte o Pnuma.

Cerca de 15 milhões de catadores informais estão expostos a resíduos químicos e enfrentam um risco significativo de danos físicos em aterros sanitários, de acordo com o relatório Rumo a um planeta livre de poluição.

Para reverter isso, é importante rever e introduzir tecnologias modernas e ambientalmente corretas para a destruição de resíduos químicos, sistemas energéticos baseados em resíduos e reciclagem.

Por fim, o Pnuma enfatiza a necessidade de trabalhar globalmente para resolver o problema da poluição. O progresso em direção a um planeta livre de poluição é uma responsabilidade coletiva e requer uma ação urgente e coerente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui