Estudo realizado nos Estados Unidos, conclui que o cheiro do café por si só pode estimular um efeito positivo no corpo.

Para chegar a essa conclusão,os pesquisadores monitoraram 114 estudantes divididos em dois grupos: os que faziam as questões de matemática do GMAT (um exame de admissão usado na maioria das escolas de negócio norte-americanas) enquanto estavam expostos ao cheiro de café no ar e aqueles que não estavam.

Segundo o estudo, os estudantes que tiveram o privilégio de sentir o cheiro de café durante a prova relataram que tinham expectativas melhores a respeito de seu desempenho no teste e, de facto, tiveram uma pontuação significativamente maior.

Mas, para os cientistas, este pode ser um caso de efeito placebo, ou seja, os voluntários já esperavam uma boa pontuação e, no final das contas, a realidade correspondeu com as suas expectativas.

“Não é só que o aroma de café tenha ajudado as pessoas a melhorar a performance em tarefas analísticas, o que já é interessante, mas eles também pensavam que iriam melhor, e nós demonstramos que essa expectativa foi responsável por, pelo menos, uma parte da melhora na performance”, afirma Adriana Madzharov, principal autora do estudo e professora da Stevens School of Business, em Nova Jersey.

O cheiro de café usado no primeiro experimento não continha cafeína ou outros estimulantes e foi notado por 70,4% do grupo.

Em um segundo experimento, os pesquisadores perguntavam a 208 pessoas que não estavam envolvidas na primeira parte da pesquisa como elas associavam os cheiros ao seu humor. Nas respostas, boa parte associou o cheiro de café à sensação de estar alerta e ter energia.

Esse tipo de resposta tão comum entre os voluntários pode ser uma das chaves para entender como as expectativas em relação à bebida resultaram no efeito observado no primeiro experimento. A reputação do café pode ser um factor estimulante para as pessoas.

De qualquer forma, agora que se sabe que o cheiro da bebida pode deixar as pessoas mais alertas, os pesquisadores apostam que essa informação pode ser usada para melhorar a performance e produtividade em empresas.

“O olfato é um dos nossos sentidos mais poderosos”, defende Madzharov. “Empregadores, arquitetos, desenvolvedores de construção, gerentes de espaço de varejo e outros profissionais podem usar aromas sutis para ajudar a moldar a experiência dos empregadores no ambiente de trabalho.”

Agora, os cientistas planejam ampliar o estudo para descobrir se o cheiro, por exemplo, pode deixar as pessoas mais acordadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui