Início Artigos O RESGATE A IDENTIDADE CULURAL AFRICANA

    O RESGATE A IDENTIDADE CULURAL AFRICANA

    536
    0

    Identidade Africana

    A história de um povo é caracterizada pela conexão com os seus ancestrais e pela alinhagem genealógica. Em Africa os ancestrais possuem uma força cosmológica através do nome e da cultura.

    Por:  Joaquim Costa Caiombo- Pedagogo e Líder

    Os africanos não estão a evoluir porque perderam o contacto com as origens e culturalmente ninguém desenvolve sem ter o contacto com o seu passado. É tal como na igreja cristã quando o povo duvidou de Moisés e constitui seus deuses ouve fraco desenvolvimento Deus os abandonou, assim também acontece com os Africanos nesta época.

    Temos uma conexão que não depende de Israel a nossa conexão depende dos nossos ancestrais e isto tem sido o motivo do franco desenvolvimento do continente, lamentavelmente os europeus sabem disto e andam felizes. És que vem aí o tempo em que os líderes africanos saberão a importância da Honra e da veneração dos ancestrais e aos seus espíritos de modo a manifestarem bênçãos para que a sabedoria se active.

    Essas bênçãos são semelhantes às que a Igreja Cristã refere sobre honrar os pais para que seus dias se multipliquem, assim também nós Africanos precisamos valorizar as diferentes culturas, línguas etc. Teremos evolução se respeitarmos as autoridades culturas tradicionais familiares, é impossível ter bênções quando você desacredita no seu passado histórico quando você desacredita na sua identidade no seu costume e na sua cor de pele.

    É impossível quando não valorizamos aqueles que nos podem abençoar para toda a vida, é difícil de se acreditar que até ao momento ainda não valorizamos os sacerdotes tradicionais e os chamamos de ʺ feiticeiros ʺ, é impossível evoluirmos quando ainda nos envergonhamos dos nomes Africanos.

    O nome representa a identidade cultural tribal e regional o nome representa a força da sua a linhagem Os nossos ancestrais Reis, sobas e rainhas foram mais conservadores e radicais que os líderes actuais, o colono ficou quase 500 anos não conseguiram lhes vencer na totalidade, acabou a geração deles subiu a geração dos meus pais, tios escolarizados pele burguesia, inimigos dos nossos ancestrais, lamentavelmente os governantes Africanos traíram o nosso povo revelaram os nossos segredos e a escravidão imperou.

    O nome simboliza a identidade cultural, se quisermos crescimento, união e romper o sofrimento causado pelos europeus precisamos respeitar os Reis, os sobas, as rainhas, os sacerdotes, os curandeiros, os regedores e outras entidades de relevo cultural.

    Não teremos evolução caso continuarmos a pesar que reconhecer um Rei é simbolismo satanista, Precisamos voltar reiniciar o controlo político social do Branco. O comércio de escravos no Atlântico, entre os séculos 15 e 19, retirou à força 10 milhões de africanos e os levou para as colónias europeias no continente americano. O comércio escravocrata prejudicou a economia africana ao impedir a formação de grupos étnicos maiores, além de ter enfraquecido e evitado o desenvolvimento de estruturas políticas Nathan Nunn.

    Os países de onde mais escravos foram retirados são os mais pobres hoje.

    O plano Marchal dos Europeus e os seus aliados, foi constituir legalmente a conferência de Berlim para com isto as culturas se desperdiçarem e consequentemente o continente nunca evoluir e vivermos a depender dos graus de milhos, vindo por eles já citada Conferência de Berlim dividiu o território africano sem considerar as divisões culturais e sociais dos povos locais, já estabelecidas há séculos. Isso resultou em povos divididos agrupados à força, aliados separados e países sem coesão étnica.

    Essa divisão arbitrária explica, por exemplo, as fronteiras “rectas” entre algumas nações. Foi de propósito: os conflitos eram aproveitados para manter os povos fragilizados e divididos e os líderes actuais deste continente contribuem pois assim promove desorganização para melhor reinarem.

    O ocidente diz para o africano que “Tudo já foi inventado”. Para desincentivar sobretudo o africano em não ser criativo. Porque em África, acreditamos que tem muito para ser criado e com invenções específicas para África. Com isso, cria assim, dependência do ocidente (tecnológica, económica, cultural, política, jurídica e Cinematográfica). Segundo as palavras do actual Presidente da Rússia (Vladmir Putin), a África é mil vezes rica que a Europa, apenas o suficiente para que os presidentes africanos criem a moeda própria, uma moeda geral que lhe dou a minha palavra de que a Europa imigrará para a África. Isso, dá a conhecer como o Banco Africano e a União Africana (UA) são instituições fracas. Por fim, por evidências em África, os povos eram muito unidos, até a chegada dos colonizadores, mas o grande culpado da implementação do racismo em África é o homem branco, que incentivou este sistema discriminatório, para inferiorizar o negro, partindo do adágio, que tudo feito pelo branco é bom ou de boa qualidade, desprezando os negros, os brancos também incitaram o racismo do negro para o negro.

    Pode parecer besteira, actualmente para muitos, porém os nomes serviam para contar quem era aquela pessoa, sua origem e muitas vezes demonstrar sua importância, seja para a sociedade ou para o ambiente familiar.

     

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui