Início Tecnologia EUA avalia criação de dólar digital

EUA avalia criação de dólar digital

12
0
EUA avalia criação de dólar digital
EUA avalia criação de dólar digital

O Presidente dos EUA, Joe Biden, pediu hoje ao seu Governo para avaliar a criação do dólar digital, uma moeda digital norte-americana apoiada pela Reserva Federal norte-americana (Fed), segundo a Casa Branca.

Biden vai assinar um decreto para que a sua Administração investigue “com urgência” a possibilidade de desenvolver um dólar digital de banco central (conhecidas como CBDC, Central Bank Digital Currencies), que são diferentes das criptomoedas por serem apoiadas pelas instituições financeiras de um país.

O decreto do presidente norte americano pede para avaliar “os potenciais benefícios e riscos” de um possível “dólar digital” e a “infra-estrutura tecnológica” que seria necessária para a sua emissão, explicou um alto funcionário dos EUA, que pediu para não ser identificado, numa conferência de imprensa telefónica.

O objectivo é preservar “a centralidade do dólar americano no sistema financeiro global” e responder às preocupações de Washington sobre a “volatilidade” das criptomoedas como a bitcoin, continuou.

“Algumas formas iniciais de inovação financeira acabaram por prejudicar as famílias americanas ao mesmo tempo que enriqueceram um pequeno grupo de pessoas. Isto demonstra a necessidade de uma protecção sólida para os consumidores e investidores”, salientou o funcionário.

Dez países lançaram até agora moedas digitais CBDC, incluindo a Nigéria com o seu e-Naira, as Bahamas com o seu Sand Dollar, e a moeda DCash, disponível em Antígua e Barbuda, St. Kitts e Nevis, Montserrat, Dominica, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia e Granada.

Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), uma centena de países está também a explorar a possibilidade de criar as suas próprias CBDC, que são diferentes da bitcoin porque têm um único emissor (o banco central de cada país) que controla o mercado monetário, tal como acontece com as moedas físicas.

Ao contrário do dinheiro que o utilizador já percebe actualmente como virtual (depósitos em bancos comerciais, por exemplo), as CBDC seriam emitidas directamente pelo banco central, para que um cidadão pudesse ter uma carteira digital com essa moeda sem estar ligada a qualquer instituição financeira comercial.

Além disso, as CBDC permitiriam, ao estilo das criptomoedas, transacções imediatas de todos os tipos, sem que, por exemplo, uma transferência de dinheiro entre particulares tarde várias horas ou dias a materializar-se.

No decreto, Biden vai pedir também ao seu Governo para que lhe forneça recomendações sobre o mercado das criptomoedas em geral, e que examine os riscos potenciais que representam para a estabilidade financeira ou segurança nacional, inclusive através de financiamento ilícito.

Os EUA criticaram, por exemplo, a adopção da bitcoin como moeda com curso legal em El Salvador, tendo na semana passada o departamento de Estado advertido num relatório que esta medida complica a luta contra o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo no país.

O referido funcionário dos EUA minimizou a possibilidade de as criptomoedas poderem ser utilizadas de forma “viável” para escapar às sanções que os Estados Unidos e os seus aliados na Europa impuseram à Rússia pela invasão da Ucrânia, mas garantiu que estará atento a essa possibilidade.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui