Início Tecnologia SATÉLITE: ANGOSAT-2 ENTRA EM ÓRBITA EM 2022

SATÉLITE: ANGOSAT-2 ENTRA EM ÓRBITA EM 2022

32
0

O satélite angolano Angosat-2 deverá entrar em órbita em 2022, garantiu nesta quarta-feira, o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem.

 Satelite angolano entra em órbita em 2022
Satélite angolano entra em órbita em 2022

Segundo Manuel Homens, está a ser cumprido um cronograma que foi estabelecido entre o Estado angolano e a fabricante do satélite angolano, e, disse garantiu estar assegurada toda a engenharia técnica, para permitir que este processo ocorra dentro dos procedimentos estabelecidos.

Manuel Homem falava esta quarta-feira, 28 de Abril, no final da reunião do Conselho de Ministros, onde foi aprovado o Estatuto Orgânico do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional. Este diploma vai permitir a realização de actividades de exploração espacial.

De acordo com ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, o país tem um amplo programa estratégico nacional que vai reajustar o Estatuto Orgânico do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional para que esteja alinhado às normas internacionais.

Leia também:

Cientistas querem construir o cofre do Juízo Final

Além disso, Manuel Homem disse que Angola está a desenvolver um programa espacial que permitirá o lançamento dos primeiros segmentos de infra-estruturas espaciais, como o satélite. Este programa, já em curso, está a ser adequado para acompanhar esta iniciativa e outras que visam melhorar o trabalho de exploração espacial no país.


Na reunião do Conselho de Ministros foi também aprovado o Projecto de Decreto Presidencial que aprova o Estatuto Orgânico do Centro de Formação de Jornalistas (CEFOJOR).

Manuel Homem disse que se pretende incentivar a formação dos jornalistas, com cursos de profissionalizantes nas mais distintas áreas, com o objectivo de capacitar cada vez mais os quadros do sector da comunicação social.

Os estatutos orgânicos do Instituto Nacional de Desminagem, do Instituto Angolano da Propriedade Industrial, da Agência Nacional de Acção Contra e Minas e da Escola Nacional do Comércio foram igualmente aprovados pelo Conselho de Ministros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui