O Ministério do Ensino Superior Ciência Tecnologia e inovação, declarou ser necessário tudo fazer para que as mulheres e as meninas tenham mais acesso e maior participação na ciência.

Na Declaração sobre o dia internacional das mulheres e meninas na ciência ontem celebrado pela 6ª vez, a ministra do Ensino Superior Ciência Tecnologia e Inovação Maria do Rosário Bragança, diz ser “inegável o papel crucial da ciência e da igualdade de género na melhoria do desenvolvimento humano e no alcance dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, pelo que a ciência precisa da participação, cada vez maior, das mulheres e das meninas”.

Maria do Rosário Bragança apelou às mulheres e meninas angolanas ” a contribuírem, de forma efectiva e relevante, para o desenvolvimento científico, tecnológico e sustentável do nosso país”.

Conforme a declaração,” Como forma de sublinhar a importância das mulheres e meninas na busca de soluções para os principais desafios mundiais, com vista à celebração do “Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência”, a UNESCO destaca o tema “Mulheres cientistas na linha da frente da luta contra a COVID-19”.

Segundo a ministra ” A COVID-19 tem afectado as relações de ensino/aprendizagem, profissionais, de lazer e afectivas devido às restrições impostas para travar a doença e salvar vidas”.

Apelou às mulheres e meninas a continuarem ” A contribuir com a mesma força e determinação como têm feito até aqui, para o reforço da consciencialização pública sobre a necessidade do cumprimento das medidas de combate à COVID-19″.

Segundo Maria do Rosário Bragança, ” O Governo de Angola, por intermédio do MESCTI e do seu Projecto de Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia, tem em curso acções para reforçar a inserção das mulheres e meninas na ciência, destacando-se, por um lado, o suporte com bolsas de estudo a 250 meninas do ensino secundário, de todas as províncias do país, que frequentam cursos que se adequam ao perfil de entrada para o ingresso em cursos superiores em áreas das ciências naturais, tecnologias, engenharias e matemáticas”.

Disse estar em fase avançada “A avaliação das candidaturas para a atribuição de 155 bolsas de doutoramento e pós-doutoramento, pretendendo-se que 55% se destinem a mulheres” e, enfatizou que, “Com os resultados obtidos nestas acções, as mulheres e meninas angolanas estarão mais aptas a responder aos diversos desafios que a Organização das Nações Unidas lançou para este ano, tendo declarado 2021 como “Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil”, “Ano Internacional dos Trabalhadores de Saúde e Cuidadores”, áreas em que as mulheres jogam um papel importante, “Ano Internacional das Frutas e Vegetais”, visando reforçar a segurança alimentar, melhorando a produção alimentar saudável e sustentável, bem como reduzindo as perdas e os desperdícios alimentares”.

A ministra diz esperar maior envolvimento das mulheres e meninas,na ” busca de soluções inovadoras para os problemas da sociedade”, tanto nas áreas das ciências sociais, médicas e outras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui