Por: Belarmino Van-Dúnem

Deviamos todos condenar a forma leviana como muitos estão a estigmatizar os nossos irmãos do Uige!

É inaceitável, vergonhoso e de pouco conhecimento dessas pessoas que estão a postar nas redes sociais textos e imagens, passando a ideia de que no Uige impera a lei do feitiço, isso é uma pura mentira.

É verdade que no Uige há tradições e a tradição é praticada com rituais, acreditando nela ou não. Mas essa mesma tradição existe em todas as provincias, existe nos outros países e existe em todo mundo.

Não podemos continuar a rir com essas piadas de mau gosto contra uma província que faz parte do todo nacional cuja maioria da população pertence ao imponente Reino do Congo hoje patrimônio da humanidade.

É a província que deu ao nosso país o primeiro Profeta cristão nacional, o primeiro angolano que criou uma organização religiosa de matriz angolana e africana, estou a falar de Simão Toco.

É no Uíge onde durante muitos anos se produziu café e de lá também onde sairam grandes musicos que de forma abnegada divulgaram a nossa cultura no exterior.

Artista como Teta Lando, Samaguana, Matadidi e outros, foram pioneiros na divulgação da música angolana e não se limitaram a cultura da sua região, há registos de interpretação musicais em dialectos de outras províncias angolanas.

Não podemos continuar a aceitar o que está a acontecer nas nossas barbas. Assim foi criado o tribalismo.

Eu já estive no Uíge N vezes e fui sempre bem recebido. Tenho muitos amigos do Uíge, inclusive tenho pessoas dentro da minha familia que têm as suas origens no Uíge.

Sempre que viajei para o Uíge, Senti que estava em casa, não me lembrei, nem me passou pela cabeça essas aberrações de feitiço. Eu me sinto livre em qualquer parte de Angola e esses tribalismo para não passam de infantilidade, reclamo o meus meus direitos no Uíge ou qualquer outra província de Angola.

Sempre fui bem tratado no Uíge, o povo é acolhedor e respeitador, claro para quem também os respeita. Mas em que lado é que os mal educados têm espaço e são bem recebidos?

Eu não aceito esse tipo de estigma contra um povo que faz parte de nós. Se no Uíge existe algumas pessoas que vão ao kimbanda, alguém conhece alguma província onde não haja essa pratica?

Aliás os feiticeiros mais fortes do país, segundo reza a história popular de Angola, não estão no Uíge!

Vamos acabar com esse estigma, deixemos de rir do nosso próprio povo. Foi assim que poucos conseguiram nos colonizar durante séculos, mesmo sendo nós a maioria, dizendo que uns eram assado e outros cozido. Na verdade somos todos africanos com a nossa diversidade cultural.

Brincadeira de mau gosto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui